O ano de 2017 está chegando ao fim, e que ano foi esse?! Intenso, complicado e com tantos acontecimentos tão surpreendentes, que fica até difícil de acreditar as vezes que tudo isso aconteceu em 12 meses. Quando se trata de cinema então, foram tantos e tantos lançamentos que perdemos as contas, num é verdade?

Tentando fazer uma retrospectiva do meu ano, entre cabines, prés, idas ao cinema em dias comuns, e aqueles que assisti no meu cantinho em casa, tentando puxar pela memória, foram em torno de 140 longa-metragens. É um número baixo, considerando o tanto que eu gosto da sétima arte e que também trabalho com isso (mas como eu disse foi um ano cheio), mas ainda assim são muitos.

E vocês tem ideia de quantos assistiram? Têm o hábito de contabilizar, organizar, ou algo assim? Eu talvez comece a fazer isso a medida que for assistindo em 2018, assim não devo deixar nenhum de fora. 😀

Dentre todos os lançamentos que vi esse ano, decidi compartilhar uma lista dos 10 que eu recomendaria não virar o ano sem assistir. Vamos à eles.   

A Criada

Embora não tão conhecido do público, o longa do cineasta cineasta sul-coreano Chan-wook Park foi um dos melhores lançamentos deste ano. Sua trama cheia de suspense e viradas intrigantes é uma boa pedida para aqueles de gostam de enredos interessantes e atuações mais que convincentes.

Logan

Para os fãs do anti-herói Wolverine, esse filme foi ao mesmo tempo um presente e uma dolorosa despedida de Hugh Jackman e Patrick Stewart em seus papéis icônicos.  Para fãs e não fãs, vale o encontro com uma história tão humana, sensível, marcante e que eleva as histórias de heróis à um outro patamar.

Mãe!

Quer ser provocado, testado, tragado e chegar ao final de um filme totalmente perturbado de uma maneira mais do que surpreendente? Esse filme é Mãe!. Darren Aronofsky conseguiu reunir numa mesma história uma alegoria bíblica que não só te faz questionar tudo que você já conheceu até agora, como também te traz mais um cem número de outras referências. Mas vá de mente aberta!

Frantz

Um belo e doloroso retrato de como uma guerra fere e mata não somente os envolvidos diretamente nela, como também modifica o curso de muitas vidas de uma maneira imprevisível e ao mesmo tempo irreparável.   

Um Limite Entre Nós

Uma história forte com uma atuação magnífica da Viola Davis, tanto que lhe rendeu um Oscar. Um drama que exprime uma realidade comum à muitas famílias de uma maneira muito genuína e emocionante.

O Filme da Minha Vida

Para quem gosta de poesia e histórias que te conduzem para uma realidade alternativa na qual se pode observar a jornada e evolução de um personagem em sua busca por sentido para as coisas que ele sente, para as perguntas sem respostas, para o que ele anseia e decide alcançar.

Como Nossos Pais

A história de uma mulher do nosso tempo, que nos mostra que apesar das muitas diferenças que possuímos, ainda partilhamos de conflitos e lutas muito semelhantes quando se trata de conquistar nossos espaços.

Atômica

Um filme de ação vigorosa protagonizado de uma forma avassaladora por Charlize Theron dando tudo de si e mais um pouco. Também conta com aquela trilha que te bota pra cima e deixa com vontade dançar.

Uma Família de Dois

Sua concepção do que pode ser de fato uma família serão atualizadas depois desse filme e a bela relação desse pai e sua filha. Amor, amizade, carinho e companheirismo definem bem o que eles construíram juntos depois de serem unidos e deixados para trás pela mãe da criança.

Extraordinário

A cada dia travamos nossas próprias batalhas, que muitas vezes não se tornam conhecidas nem mesmo por aqueles que nos cercam. Nesse filme, podemos ver como a nossa capacidade ter empatia pelo outro e suas batalhas, ainda que não saibamos quais são elas, pode nos impedir de transformá-las em algo ainda mais difícil de lidar para alguém cujo o fardo já é pesado demais.  

Anterior Fala Sério Mãe! | Crítica
Próxima Bright | Crítica

Sem Comentários

Deixe uma Mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *