A Cabana (O grande sermão de William P. Young ) | Crítica 2


Um dos livros de ficção cristã mais popular, com mais de seis milhões de cópias vendidas em todo o mundo e traduzido para 39 idiomas, “A Cabana” (The Shack), chega aos cinemas trazendo Octavia Spencer e Sam Worthington.

A história deste romance é do canadense William P. Young, que auto financiou a publicação da obra, porque a sua única intenção era que seus filhos recebessem como um presente de Natal. O livro foi escrito para ensinar a reconciliar-se com a alma e retornar a fé.

É possível que ao iniciar alguns o confundam com um com um suspense criminal, mas o longa logo se adianta para revelar o seu verdadeiro propósito.

O personagem é Mack Phillips (Sam Worthington), um pai que sofre uma terrível tragédia, envolvendo sua filha de seis anos Missy. A dor do acontecimento o faz perder a fé em tudo, e nada parece conseguir fazê-lo superar isso. Um dia ele recebe um convite para visitar a cabana na floresta onde os fatos ocorreram, um estranho cartão causa impacto sobre ele, e o curioso é que esse foi assinado por “Deus“. Deus aqui é retratado por Octavia Spencer. Este encontro representa uma viagem para Mack, onde ele encontra verdades importantes, incluindo uma maior compreensão do que significa sua tragédia, o que lhe permite mudar a vida para sempre.

O filme parece realmente encantar àqueles que já leram o livro, pois todas as suas passagens são mostradas como uma grande ilustração do que foi escrito. Seu visual passa de gélido e frio para confortável e acolhedor numa transição harmoniosa, que claramente representa o estado de espírito que cada situação nos coloca.

Os atores no geral nos entregam uma performance aceitável, mas Octavia se destaca com sua leveza, seu olhar parece realmente divino e seus movimentos convencem como ‘Papa’. Mas como nem tudo são flores e nada é perfeito, há uma sequencia que destoa da fantasia proposta no filme, essa traz a atriz brasileira Alice Braga numa espécie de gruta bastante “artificial”.

‘A Cabana’ é uma produção politicamente correta. Se enquadra perfeitamente na linha pregadora de filmes cristãos, mas tenta alcançar um publico generalizado. O longa de autoajuda consegue inclusive soar como um longo sermão, mas também se apega a aspectos bons do cinema.

Data de lançamento 6 de abril de 2017 (2h 13min)
Direção: Stuart Hazeldine
Elenco: Sam Worthington, Octavia Spencer, Tim McGraw mais
Gênero Drama
Nacionalidade EUA

[yasr_overall_rating size=”medium”]