The Breakdown

Data de lançamento 6 de dezembro de 2018 (1h 58min) Criador(es): Dan Fogelman Elenco: Oscar Isaac, Olivia Wilde, Annette Bening mais Gêneros Drama, Romance Nacionalidade EUA
9.0

O melodrama escrito e dirigido por Dan Fogelman (criador da série This Is Us) apresenta a relação entre diferentes personagens unidos pelo amor, mas marcados pela tragédia.

‘A Vida em Si’ inicia-se trazendo uma história estrelada por Oscar Isaac e Olivia Wilde, que constituem o primeiro par, esse nos conta como começou seu romance até que pudessem formar uma família, tudo isso, sob o olhar de um narrador ‘nada confiável’. Olivia Cooke, Annette Bening, Antonio Banderas, Mandy Patinkin, Samuel L. Jackson e Laia Costa completam o elenco fantástico desse que é um dos filmes mais bonitos de 2018.

Calibre | Crítica

O primeiro ato é memorável, intenso e comovente, e nos faz uma promessa sobre o destino que nos aguarda em tela, é brilhante e também choca, ainda assim, gera uma necessidade de esperança para justificar tal dor.  Tudo vai se desenrolando sob o olhar deste narrador que é gradualmente diluído, mas retorna no final para justificar a tese do filme.

Qual é a tese? Que existe uma interconexão entre todos nós, que o que fazemos ou não fazemos, tem uma consequência que vai além de nossas vidas. E não importa quão terrível seja o momento pelo qual estamos passando, somos o resultado do acaso, onde o amor sempre foi a fonte original. Pode-se dizer que a idéia de interconexão não é nova, no entanto, o cinema é atormentado por histórias que são contadas repetidas vezes, mas a singularidade está em sua forma, em como é contada.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald | Crítica

O motor que impulsiona as ações dessa história é uma manipulação emocional óbvia, mas nos atinge em cheio. Uma série de sorrisos e conversas entre personagens que se apaixonam e depois são vítimas das mais horríveis tragédias. Como se ninguém tivesse um momento de paz, ou pelo menos uma vida chata. Aqui cada momento de alegria será cobrado com juros e correção: câncer, acidentes de trânsito, mortes e mais.

Este é um filme humano, e humanos não são perfeitos, mas podem ser bonitos e interessantes diante da verdade e do amor. No inicio o público pode ficar confuso com o grande jogo que foi feito em sua montagem, mas é garantido o entendimento e vale muito à pena esperar. Ele ainda contém algumas idéias maravilhosas sobre o que nos faz seguir em frente.

Millenium: A Garota na Teia de Aranha | Crítica