ANCINE , Spcine e InC SP promovem bate-papo entre cineastas italianos e estudantes


Considerada a sétima arte, o cinema nasceu e se desenvolveu como expressão cultural de um povo e gradativamente tornou-se uma industria multibilionária, especialmente na Europa e nos Estados Unidos. Embora as primeiras produções nacionais constem dos anos de 1897/1898, o Brasil ainda não alcançou o patamar dos maiores produtores mundiais. Para contribuir com a ampliação e crescimento desse mercado, a ANCINE – Agência Nacional do Cinema foi criada em 2001 com o dever de fomentar, regularizar e fiscalizar o mercado do cinema e do audiovisual no Brasil. Como parte desse processo que também tem o intuito de expandir as fronteiras e parcerias do cinema nacional, são desenvolvidas muitas coproduções do Brasil com outros países como Argentina (“Dolores”, filme lançado recentemente é exemplo disso) e Uruguai na América do Sul, França e Itália na Europa.

Como parte dessa cooperação com a Itália, foram assinados em 2009 e 2012 acordos que se destinam a incentivar o desenvolvimento de obras cinematográficas entre esses países. Através deles surgiram incentivos à projetos como “15  MILIONI” do cineasta Mario Cristiani e “A Porta da Liberdade” do cineasta Alberto Iannuzzi, e ambos participaram de um bate-papo promovido pela ANCINE, a Spcine e os nossos parceiros do Instituto de Cinema SP na última quarta, 19 de abril, na sede do Instituto.

O encontro que durou em torno de 2:30h permitiu à alunos e ex-alunos do Instituto conhecerem um pouco da história de cada um dos convidados, conversarem sobre os projetos com seus criadores, dando opiniões sobre às trajetórias dos personagens, questionando as escolhas e compartilhando conhecimentos sobre a forma de fazer cinema em ambos os países.

Também estiveram presentes Andressa Zuccheratte, assessora internacional da ANCINE e o cineasta e diretor do Instituto de Cinema, Steven Phil, que também atuou como mediador do bate-papo. Os projetos que ainda estão em fase de desenvolvimento deverão ter locações nos dois países, porém estas ainda não foram definidas.

O primeiro é inspirado nas histórias de crianças que foram levadas do Brasil de maneira criminosa para adoção – considera-se também que algumas possam ter sido contrabandeadas para o tráfico de órgãos – na Itália, buscando trabalhar como seria a descoberta e o reencontro com esse passado, como essas ações foram tratadas de forma diferente pelos governos de cada país, uma vez que na Itália não havia registros irregulares dessas adoções, pelo contrário, lá tudo foi feito da forma considerada correta. Em conversa com Mario, ele me relatou como foi seu processo de investigação a partir do momento que viu uma notícia na televisão sobre duas irmãs adotadas por casais diferentes que se descobriram e se reencontram depois de adultas. A emoção e necessidade que foram despertadas em seu coração para levar essa história para as telonas e ainda a sua preocupação em procurá-las em algum momento para contar sobre o projeto e seu receio de que elas possam vir a se sentir invadidas, expostas. Enquanto compartilhava seus desejos e apreensões, eu observava seu olhar genuíno e esperançoso com o projeto. É incrível como a arte é capaz de inspirar e provocar tantas sensações e o que se pode criar através delas.

Já o segundo tem como premissa os sonhos, como os alimentamos e tentamos alcançá-los e ainda os reflexos de verdades e mentiras no nosso caminho para a conquista desses sonhos. Ele também revela muito sobre como o ideal de felicidade é uma questão de referências e perspectivas diversas. Afinal a felicidade está em nosso interior e precisamos nos permitir experienciá-la no momento em que estamos vivendo, nas oportunidades que estamos tendo, por mais breves que eles possam ser. Para tanto Alberto inclusive nos falou sobre suas próprias experiências, como o período em que viveu em países da África, tentando levar o cinema em locais que as pessoas não tinham acesso, e que mesmo lá, com toda pobreza e dificuldades pelas quais aquelas pessoas passavam, ainda era possível encontrá-las experimentando momentos felizes.

Para mais informações e conferir o registro em vídeo do evento que será disponibilizado em breve, acesse o site do Instituto de Cinema.