As Duas Irenes | Crítica


A partir da ótica de duas adolescentes de personalidades fortes e distintas, Fábio Meira compartilha conosco a história de As Duas Irenes, seu primeiro longa-metragem que chegou aos cinemas nesta quinta, 14 de setembro, depois de conquistar os prêmios de Melhor Roteiro, Melhor Direção de Arte, Melhor Ator Coadjuvante para Marco Ricca que interpreta o Tonico, pai das Irenes (Priscila Bittencourt e Isabela Torres) e ainda Melhor Longa Nacional pela Crítica no Festival de Gramado.

A tímida e reticente Irene (Priscila) é a filha do meio das 3 garotas que Tonico tem com sua esposa Mirinha (Susana Ribeiro), e ao descobrir que o pai tem uma outra filha de mesma idade e nome com outra mulher, decide se aproximar da garota e desvendar o que há por trás de tudo isso. Já a Irene (Isabela) com seu jeito vivaz e destemido se mostra receptiva à aproximação, atraindo-a cada vez mais para a sua rotina. Logo as garotas desenvolvem uma cumplicidade afetuosa, sem contudo deixarem de ter um olhar curioso, incomodado e até mesmo de cobiça em relação à realidade uma da outra. Os olhares em As Duas Irenes têm um grande peso nos diálogos desenvolvidos na história, tanto no que concerne as duas garotas, quanto entre elas e os demais personagens há muitas cenas em que eles conduzem toda a conversa. É como se a sensação delas muitas vezes fosse estar diante do espelho, porém não reconhecendo seu próprio reflexo, elas buscam semelhanças e se frustam com as diferenças, desejam um confronto com esse pai, explicações, respostas para todas essas perguntas que as perturbam, contudo têm receio das consequências desse enfrentamento. Elas seguem avançando em suas buscas e investidas para identificarem e compreenderem o que há por trás das omissões desse pai, porquê por mais que elas queiram saber o que houve, elas também desejam não perder o amor e a convivência com ele.

E assim, com atuações bem precisas e cativantes, apresentadas em cenários que poderiam pertencer à qualquer cidadezinha do interior, ideia fortalecida pela luz intensa de um sol que brilha mais forte e amarelado, construções de arquitetura comuns à essas regiões, suas ruas de paralelepípedos, pracinhas, cinema e cachoeiras onde os jovens se reúnem e acontecem os primeiros flertes, figurinos que demarcam não somente as diferenças de personalidades e status de seus personagens, como também seus territórios e filosofias e uma trilha sonora que é pura nostalgia, As Duas Irenes se conecta com seu espectador pela verossimilhança de seu enredo, no qual somos capazes de projetar trechos e acrescentar peças de tantas histórias que possivelmente nós mesmos já ouvimos tantas e tantas vezes familiares contando à respeito.

Título Original:  As Duas Irenes

Lançamento:  14 de setembro de 2017 

Direção: Fábio Meira

Roteiro: Fábio Meira

Elenco: Priscila Bittencourt, Isabela Torres, Marco Ricca, Susana Ribeiro, Inês Peixoto, Teuda Bara, Maju Souza

Gênero: Drama

Nacionalidade: Brasil

[yasr_overall_rating size=”medium”]