The Breakdown

Título Original: Las herederas Lançamento: 30 de Agosto Direção: Marcelo Martinessi Gênero: Drama Elenco: Ana Brun, Margarita Irun, Ana Ivanova.
8.0

Envelhecer, desapegar de um passado luxuoso e passar por uma séria crise financeira aos 60 anos de idade. Essa é a temática central do filme paraguaio As herdeiras. Ele narra à história de duas senhoras que vivem juntas, Chela (Ana Brun) e Chiquita (Margarita Irun) que decretaram falência.

Ambas sofrem com o atual cenário de vida, mas cada uma tem uma maneira de lidar com a dor e a perda do status social. Chiqui é presa, e Chela fica em casa tentando lidar com a solidão e a falta de dinheiro.

Cada quadro, louça ou mobília vendida representa para Chela um pedaço de si, que se vai, esvaindo-se, desaparecendo, e ela já não sabe mais o que irá sobrar. Estarrecida, sem forças para lutar, ou continuar, uma singela depressão acomoda-se.

 

A sexualidade de ambas é abordada de maneira natural e delicada, fica claro que elas são um casal sólido, apesar de não terem muito contato físico ou afetivo. A questão central do filme é a perda, todas elas, e como continuar. Interessante, é que apenas após a prisão de sua companheira, Chela liberta-se e permite se redescobrir.

Com uma interpretação precisa, Ana Brun consegue transmitir em poucas palavras, olhares e introspecção, uma personagem sutil, delicada e visivelmente angustiada, tudo isso rendeu a ela, a indicação de Melhor Atriz no Festival de Berlim e vencedora no Festival de Gramado. O jeito sutil de Chela casou perfeitamente com a melancólica trilha sonora e o ambiente decadente e nostálgico do casarão.

Dirigido por Marcelo Martinessi, As Herdeiras é um belo retrato da terceira idade, e os seus diferentes ângulos, temática esquecida pelos filmes, ou representados de uma forma fantasiosa, e que de fato é preciso reaprender a viver apesar das perdas e adversidades, elas existem e continuam a acontecer mesmo na última fase da vida.

Previous O Predador ganha comerciais com trechos inéditos
Next Candidato Honesto 2 – Sério? | CRÍTICA

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *