Bruxa de Blair | Crítica


Alguns anos atrás, um filme revolucionou a indústria por algumas razões: o seu orçamento, e a sua inovadora campanha de pré-lançamento que incluiu a criação de um mito em torno dele. A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project, 1999) de Daniel Myrick e Eduardo Sanchez, chocou o público com seu falso registro documental sobre uma bruxa que vive na Floresta.

maxresdefault-1

O novo Bruxa de Blair 2016 desta vez centra-se na família de uma das vítimas e suas tentativas desesperadas para entender o que realmente aconteceu, e terminou com o desaparecimento de Heather, por mais de longos 15 anos.

Assim, ao longo de sua primeira etapa, o filme procura construir uma crônica com imagens da chegada dos jovens para o suposto local onde antes estava localizada a casa dos sacrifícios, enquanto o segundo foco está no relacionamento confuso dos jovens com os fatos que eles começam a presenciar.

Desta vez, sob a direção do experiente Adam Wingard, o roteiro busca uma atualização e tenta nos fazer acreditar nas ações dos jovens mesmo sabendo que já não e tão fácil ganhar o público como nos anos 90, as câmeras que antes gravaram em VHS, foram substituídas por uma tecnologia bem mais a cara da nossa época (com possibilidade de visão noturna e até câmeras em uma espécie de fones de ouvido).

Por muito tempo o filme se concentra nas reações entre os protagonistas. Mas deixa muito a desejar em termos de história, a atmosfera criada pelo original não respinga na nova versão, e lá se vai mais uma chance de nos surpreender. Até mesmo os sustos surgem de formas bem forçadas e sem força. Sem dúvida o novo ‘Bruxa de Blair’ perde como história, e, exceto na reta final onde tudo acontece, nada acrescenta esta atualização.

O novo longa pode ser apreciado se for visto pelos telespectadores que não conhecem o filme original, mas se alguém toma a referência anterior, esta proposta acaba por ser um produto cheio de equívocos e falhas.

Data de lançamento 15 de setembro de 2016 (1h 29min)
Direção: Adam Wingard
Elenco: Brandon Scott, Callie Hernandez, Valorie Curry mais
Gênero Terror
Nacionalidade Eua

[yasr_overall_rating size=”medium”]