Caça-Fantasmas| Crítica


Atualmente uma respeitada professora da Universidade de Columbia, Erin Gilbert (Kristen Wiig) escreveu anos atrás um livro sobre a existência de fantasmas em parceria com a colega Abby Yates (Melissa McCarthy). A obra, que nunca foi levada a sério, é descoberta por seus pares acadêmicos e Erin perde o emprego. Quando Patty Tolan (Leslie Jones), funcionária do metrô de Nova York, presencia estranhos eventos no subterrâneo, Erin, Abby e Jillian Holtzmann (Kate McKinnon) se unem e partem para a ação pela salvação da cidade e do mundo

Com roteiro de Paul Feig e Katie Dippold, temos uma história sem muitas novidades. O argumento lembra muito o primeiro filme, contudo apenas isso, o desenvolvimento da história é completamente diferente. A forma como conhecemos as personagens e as situações que passam, as pequenas dificuldades são exploradas ao máximo no sentido cômico. Aliás, talvez essa seja a grande sacada do roteiro, é puro entretenimento. Ele não se leva a sério e nos faz rir a maior parte do tempo, tanto em situações absurdas quanto nas mais corriqueiras, claro que isso não funciona em todos os momentos, mas o saldo é extremamente positivo. E aqui adianto que as homenagens feitas aos caça-fantasmas de 84 são muito bem feitas, aparecendo todos (inclusive com referência a Harold Ramis, o Egon, já falecido), o destaque fica sempre com Bill Murray, e não poderia ser de outra maneira.

Caça-Fantasmas 84

Caça-Fantasmas

Outra ressalva,  o fato de serem mulheres é um detalhe. Fica claro que poderiam ser 4 homens! Há momentos que se explora o fato de serem mulheres, porém isso é circunstancial e não poderia ser diferente. O mais interessante é que somos apresentados a novos personagens, não há uma tentativa de fazer correspondência entre os personagens de 84 e os dessa nova versão, o que é muito bom para o desenvolvimento do filme.

Paul Feig (que vem se destacando pelas comédias) também ficou encarregado da direção e fez um trabalho muito bom. Especialmente por criar em alguns momentos um clima de horror (que o próprio filme exige), sabendo misturar isso com o humor. Os efeitos visuais são bem feitos e não há um uso abusivo, eles fazem parte da história, ajudam a demonstrar o que está acontecendo. As cenas de ação são bem desenvolvidas e mais grandiosas que as do original, contudo o mais importante é a direção de atores. O filme é calcado na relação entre as 4 personagens, e não há um protagonismo, em alguns momentos alguma se destaca, mas no seguinte tudo muda. E a química entre elas é a melhor parte do filme, há conflitos que são resolvidos na base do humor e as diferenças de personalidade são exploradas ao máximo. Uma escolha sabia do diretor é apresentar o filme em latterbox (aquelas faixas escuras acima e abaixo do filme), isso reforça o 3D, e digo que vale muito a pena ser visto nesse formato.

Caça-Fantasmas

Quanto as atuações, Melissa McCarthy faz o que sabe fazer de melhor, ser hilária não só com seu modo de falar e time cômico, contudo também com caras e bocas que ajudam a compor o personagem. Sua Abby é determinada e crédula. Kristen Wiig faz a medrosa e é a partir disso que nascem as suas situações engraçadas, talvez seja a personagem que tem o arco mais interessante. Kate McKinnon (pouco conhecida do público brasileiro) faz Jillian Holtzmann, tão brilhante inventora quanto louca, suas reações e ações são sempre uma surpresa. Leslie Jones, a Patty Tola, é descolada e é dela as piadas que tocam nos assuntos polêmicos como racismo e feminismo, sem cair na caricatura da mulher negra. E por fim Chris Hemsworth faz o secretário Kevin, subvertendo a piada da loira burra, temos aqui um homem loiro, bonito e burro (as vezes de modo exagerado). Isso rende boas piadas e num certo momento da história seu personagem toma grande importância. É um excelente trabalho que mostra a versatilidade do ator.

“Caça-Fantasmas” é uma ótima atualização, sabe fundir bem o horror com a comédia. É um tapa de luva a toda campanha feita contra a sua realização, e sabiamente há momentos que brinca com esse fato. No fim faz jus ao seu antecessor, não lhe devendo nada.

 

Elenco: Kristen Wiig, Melissa McCarthy, Leslie Jones, Kate McKinnon, Chris Hemsworth, Charles Dance, Andy Garcia, Bill Murray, Dan Aykroyd, Ernie Hudson, Sigourney Weaver, Annie Potts.
Roteiro: Paul Feig , Katie Dippold
Direção: Paul Feig
Gênero: Comédia
Duração: 116 min
[yasr_overall_rating size=”medium”]