Casamento Grego 2 | Crítica


Se uma palavra apenas pudesse definir “Casamento Grego 2”, esta palavra seria nostalgia! Já que de alguma forma, embora tenham se passado quatorze anos, é como se tivéssemos retornado no tempo, e mais uma vez fossemos os convidados para um grande casamento na família Portokalos. A maior e mais calorosa família grega do cinema nos últimos tempos.

Casamento Grego 2

Como o próprio cartaz nos diz: “As pessoas mudam. Os gregos não.” E a cada nova cena temos um detalhe no cenário, uma música, uma fala ou expressão que nos remete ao primeiro filme, comprovando que a passagem dos anos apenas intensificou todo o amor, energia e proximidade dos Portokalos. Ah, e claro o uso do limpa-vidros.

Nia Vardalos que interpreta Toula, é novamente a responsável pelo roteiro e explora as relações e confusões familiares, que em se tratando dessa família, sempre são muitas. Desta vez com foco nos desafios que pessoas em um relacionamento longo podem enfrentar e ainda na relação de Toula e Ian (Jonh Corbett) com sua  filha Paris (Elena Kampouris), agora uma adolescente que se sente sufocada pelo jeito de ser de sua família.

Mantendo o elenco original, “Casamento Grego 2” é uma comédia extremamente leve e divertida, com personagens que despertam simpatia, sendo capazes de fazer você se sentir em meio à sua própria família, ainda que ela não seja tão grande e barulhenta quanto os Portokalos.

O destaque fica com a tia Voula (Andrea Martin) que está mais irreverente do que nunca, Guz (Michael Constantine) com seu inseparável limpa-vidros e o desafio “Me dê uma palavra e eu te mostro que a raiz dela é grega.” e ainda com Mana-Yiayia (Bess Meisler), que mesmo tendo poucas falas consegue divertir e emocionar, como por exemplo na cena da foto abaixo.

Casamento Grego 2

Kirk Jones fez um ótimo trabalho na direção, de forma que todos demonstram estar ainda mais confortáveis em seus personagens, deixando a história ainda mais cativante. A fotografia, também é um ponto a mais para o filme, que têm cenários ricos em detalhes, especialmente a casa dos pais de Toula e o restaurante da família. Inclusive o filme se inicia com uma bela tomada do alto em que somos conduzidos pelas casas do bairro, até o momento em que chega à casa de Guz e Maria, onde nos reencontramos com o patriarca.

Já a trilha sonora em sua maior parte animada pelas canções gregas, também cedeu um espaço para a já conhecida música “All Of Me”  na voz de Jonh Legend embalar uma das cenas românticas do longa, o que lhe caiu como uma luva.

O filme que estreia no próximo dia 31 de março nos cinemas brasileiros pode lhe render muitas gargalhadas e talvez até algumas lágrimas, pois te faz lembrar o que é e como é ser família. Independente das loucuras e do excesso de cuidado, no fundo todos se preocupam e querem o bem um dos outros, e eles cumprem muito bem a missão de expressar isso nas telas.

Elenco: Elena Kampouris, Nia Vardalos, John Corbett, Andrea Martin, Michael Constantine, Lainie Kazan, Bess Meisler, John Stamos, Rita Wilson, Alex Wolff, Gia Carides.

Roteiro: Nia Vardalos

Produção Executiva: Paul Brooks, John Powers Middleton, Scott Niemeyer, Steve Shareshian, Nia Vardalos, Norm Waitt

Produção: Gary Goetzman, Tom Hanks, Rita Wilson

Direção: Kirk Jones

Gênero: Comédia

Duração: 90 m

Estreia: 31 de março de 2016

[yasr_overall_rating size=”medium”]