Como Eu Era Antes de Você | Crítica


Louisa Clark (Emilia Clarke) uma menina simples e pobre do interior da Inglaterra que, sem grandes perspectivas, perde seu emprego de garçonete e desesperada, precisando de dinheiro, a jovem aceita cuidar de Will (Sam Claflin), que após um acidente de trânsito ficou tetraplégico. Tentando manter seu emprego, ela busca agradar ao máximo, mas acaba se apaixonando pelo rapaz que a corresponde, entretanto uma escolha pode atrapalhar o futuro dos dois.

Temos o roteiro baseado no livro de Jojo Moyes, que também roteirizou a história. Há um bom argumento, contudo o modo como os personagens são desenvolvidos, quase de forma caricata, diminui um pouco a empatia que criamos com eles. Claro que tais diferenças são importantes, mas o roteiro as acentua demais e acaba caindo no caricato. Sem falar em alguns diálogos sofríveis que não acrescentam nada a história e estão ali apenas para ressaltar a necessidade de superação, parece que saíram de um livro de auto ajuda.

Por outro lado,  os momentos cômicos não deixam o filme cair num drama barato e torna a dinâmica entre os personagens principais muito mais rica e interessante. Outro ponto forte é o drama criado por uma escolha específica, ela é o fio condutor de toda a história, é relevante e faz todo sentido, tanto que a certa altura no desenvolvimento do enredo todos os personagens estão envolvidos por esse motivo e a partir disso nascem conflitos que impulsionam a história.

Quanto à direção, essa ficou a cargo de Thea Sharrock, que seguiu bem o roteiro reforçando as caricaturas, utilizando, por exemplo, o figurino dos protagonistas para evidenciar certas características, como: Clark é uma menina doce que usa sempre roupas infantis e coloridas, representando toda sua alegria de viver e seu lado inocente, enquanto o rapaz, usa sempre roupas escuras mostrando todo seu luto pela situação que vive.

Há também cenas que não acrescentam nada à história, fazendo o filme ficar mais extenso que o necessário. Um ponto que me chamou atenção é a trilha sonora, os filmes baseados em best sellers têm usado músicas pop em suas trilhas, imagino que para criar empatia com o maior número de espectadores possível.

Quanto aos atores, Emilia Clarke reforça a caricatura da sua personagem, que se comporta como criança dando pulinhos e fazendo caras e bocas para demostrar claramente qual o seu sentimento. Seu arco dramático é interessante e essa postura melhora a partir de certo momento, apesar de ainda preservar algumas roupas infantis. O ator Sam Claflin faz um homem amargurado por sua situação, mas que se deixa levar pela inocência de uma mulher que ainda possui jeito de menina e mostra a ele que há momentos bons, mesmo na sua condição. Destaque para o seu sarcasmo muito inteligente.

Já os pais de Will interpretados por Janet McTeer e Charles Dance fazem o papel de pais que sofrem e procuram uma forma de auxiliar o rapaz a ter uma vida melhor, contudo sem nenhum destaque em especial. O eterno Neville Longbottom de Harry Potter, Matthew Lewis, faz o namorado de Louisa, um rapaz obcecado por esportes e que não parece nem um pouco preocupado com ela, suas cenas são engraçadas, mas é um personagem que está ali apenas por conveniência do roteiro.

Como Eu Era Antes de Você

Com estreia para o próxima quinta, 16 de junhoComo Eu Era Antes de Você é um filme com um argumento muito bom, apesar do desenvolvimento ser muito óbvio, cheio de clichês, mas o final surpreendente alivia essa perspectiva. O que realmente falta nele é uma delicadeza que podemos ver em filmes como “O escafandro e a borboleta” e “Os intocáveis”, dois filmes franceses, que abordam temática muito semelhante porém de forma muito mais sutil, e por isso acabam impactando mais o espectador.

Elenco: Emilia Clarke, Sam Claflin, Janet McTeer, Charles Dance, Matthew Lewis.
Roteiro: Jojo Moyes
Direção: Thea Sharrock
Gênero: Drama, Romance
Duração: 1h 50min
[yasr_overall_rating size=”medium”]