Criador de Good Omens afirma que petição para cancelamento da série foi uma coisa boa


A série Good Omens, apesar de muito elogiada pelo público geral, recebeu críticas de grupos religiosos por satirizar eventos bíblicos, e até mesmo uma petição pedindo por seu cancelamento foi criada.

Com mais de 20 mil assinaturas cadastradas, a petição ganhou um ar cômico ao apresentar um erro gritante, pedindo o cancelamento de Good Omens à Netflix, enquanto a série é uma da Amazon Prime Video, sua concorrente.

Neil Gailman, criador da série e autor do livro que deu origem aos episódios, se posicionou sobre a petição desastrosa em entrevista recente ao Radio Times. Ele diz:

“Eu realmente gostaria de mandar uma caixa de chocolates para quem a organizou – eles provavelmente achariam que eu estava sendo sarcástico, mas foi a melhor coisa do mundo.

Isso demonstrou que as pessoas que assinam petições para cancelar programas sequer assistem a essas séries. Se alguém envolvido nessa petição tivesse visto o Good Omens, eles saberiam o quão tola era sua petição, mas também saberiam que era da Amazon Prime!

Mas o que isso fez por nós foi se tornar a ferramenta promocional mais incrível e eficaz que eu poderia imaginar, porque em todo o mundo onde eles têm o tipo de noticiário em que fazem perguntas sobre o que está nos jornais, haveria uma perguntas sobre Good Omens, que mencionaria que era um programa da Amazon Prime e dizia às pessoas que a série existia onde elas podem assisti-la.

Eu sinceramente achei isso muito maravilhoso. E a verdade é que, se alguém realmente vai criar uma petição porque Frances McDormand fez a voz de Deus, ou porque Adão e Eva são negros, acho que isso diz mais sobre as pessoas que estão solicitando seu cancelamento do que sobre a série.”

Desde o começo, não era esperado que a série tivesse uma segunda temporada.