Crítica | A Escolha


“A Escolha” é o mais novo filme baseado no livro A Escolha, de Nicholas Sparks, o autor já teve várias obras adaptadas para o cinema, como: O Melhor de Mim (2014),  Querido John (2010) e Diário de uma Paixão (2004), e como sempre, o ingrediente deste longa também é o amor.

Então, os românticos de plantão se prepararem que teremos amor verdadeiro, comédia, drama, e uma lição de vida, que fará você sair do cinema refletindo: Que escolhas estou fazendo na minha vida?

escolha_4-e1443748469908-750x380

O filme conta a história de Travis Parker (Benjamin Walker), solteiro, veterinário da cidade, que leva a vida sem assumir compromissos e vive se divertindo com os amigos. Até que Gabby Holland (Teresa Palmer) muda-se para a casa ao lado da sua. Estudante de medicina, Gabby é aquela típica garota perfeita, rica, boazinha, só estuda e cuida do cachorro.

No primeiro encontro dos dois já saem faíscas, e assim permanece até que se entregam a paixão e se amam intensamente. Neste universo, tudo acontece de forma perfeita, os olhares, os beijos, até que surgem os problemas para que sejam superados pelo amor que existem entre os dois.

434620

Mas não espere atuações incríveis, Gabby é uma menina sem sal, e Travis como sedutor não convence. O que importa mesmo é prestar atenção na mensagem em que “A Escolha” tenta transmitir: as nossas escolhas são na verdade, o que irão definir a nossa vida.

Adoro os filmes baseados nos livros de Sparks, eles motivam e lembram que a vida para dar certo só depende da sua coragem, da sua atitude, é aquele empurrãozinho que precisamos para agir, entende?  “A Escolha” estreia dia 4 de fevereiro nas telonas de todo o Brasil.

 

 

Ficha Técnica

Título Original: The Choice

Elenco: Benjamin Walker, Teresa Palmer, Tom Welling, Tom Wilkinson, Alexandra Daddario. 
Direção: Ross Katz.

Roteiro: Bryan Sipe.

Duração: 1h49min.

[yasr_multiset setid=0]