Crítica | Paixão Obsessiva


UNFORGETTABLE

Términos de relacionamentos sempre são experiências traumáticas e dolorosas para a maioria das pessoas, e saber seguir em frente é essencial e a melhor escolha para ambos os envolvidos. Mas parece que Tessa Connover (Katherine Heigl) tem uma opinião divergente sobre este assunto.

Paixão Obsessiva (Unforgettable, 2017) é o novo longa de suspense da Warner Bros. Picture que estreia nesta quinta-feira (20) em todo país, traz a atriz Katherine Heigl no papel da possessiva Tessa ConnoverUma mulher inconformada com o final do seu casamento, e descobre que seu ex-marido David (Stults) está noivo de Julia Banks (Rosario Dawson), e ela irá passar a compartilhar a vida da sua filha Lily (Isabella Rice).

Direção estreante de Denise Di Novi, apesar de ser um nome forte na produção Hollywoodiana, principalmente em comédias românticas, como Amor a Toda Prova, Paixão Obsessiva é diferente de suas produções anteriores, ele tem o suspense como principal ingrediente.

A trama segue como todo filme do gênero, e logo nos primeiros minutos ele tenta envolver o espectador, mas a história é fraca e os personagens não tem carisma. Até a compulsiva Tessa, que tenta demonstrar uma certa perfeição, não passa nenhuma.

A trilha sonora não acompanha as cenas, em alguns momentos não é possível criar a atmosfera de suspense e tensão. O roteiro também não ajuda muito, escrito por Christina Hodson e David Johnson, é cheio de falhas e diálogos banais. Enfim, o longa acaba se esbarrando em clichês e não engata.

Título Original: Unforgettable

Gênero: Drama, Suspense.
Direção: Denise Di Novi.

Roteiro: Christina Hodson e David Johnson.
Elenco: Rosario Dawson, Katherine Heigl, Geoff Stults, Isabella Rice.

[yasr_multiset setid=0]