The Breakdown

Título Original: Buh-Ning Lançamento: Novembro 2018 Direção: Lee Chang-Dong Roteiro: Lee Chang-Dong com base no conto “Queimar Celeiros”, do livro “O Elefante Desaparece”, de Haruki Murakami Gênero: Drama, suspense Elenco: Ah-in Yoo, Jong-seo Yun e Steven Yeun Nacionalidade: Coréia do Sul
7.0
Pros
Atuações
Cons
Duração.

Estreou na última quinta, 15 de novembro, em circuito nacional. Foi destaque na 42ª Mostra SP. Foi destaque no Festival do Rio 2018. Tem Steven Yeun de The walking Dead entre os protagonistas. E é baseado no conto “Queimar Celeiros”, do livro “O Elefante Desaparece”, de Haruki Murakami, um dos mais populares escritores japoneses.

Tudo isso parece ser uma fórmula interessante para o sucesso. E creio que de fato pode agradar, visto que apesar de aparentemente ser uma história simples de um jovem escritor, sua amiga e affair, o namorado rico e excêntrico, e essa disputa silenciosa por atenção, status e poder, o longa-metragem vai se revelando mediante camadas, compostas por personagens e tramas distintas que vão se conectando e dando o embasamento necessário para o ápice que se apresentará.

Cada um dos três personagens centrais são em si, densos, apesar de aparentar uma demasiada leveza, misteriosos, em contraponto a um sorriso dócil, com olhares de descoberta, solidão e excitação, tudo neles e através deles parece ser uma metáfora para algo mais. 

Não é um filme de explosões e barulho, é um filme do caos silencioso, à espreita, atento e preciso na direção dos alvos. É uma obra que impacta de maneira progressiva, que te deixa pensando, questionando e avaliando tudo o que aconteceu. Eu poderia até dizer que é um jogo de gato e ratos, porém está mais para uma presa caindo numa teia de arranha ou na areia movedissa, onde quanto mais eles se movem, mais presos ficam, não havendo escapatória, por mais se tente fugir.

Lee Chang-Dong, que foi o responsável pela direção e roteiro, pelo que eu soube do que é o conto pela percepção de uma amiga, conseguiu reproduzir bem a síntesa da história e ainda conseguiu acrescentar questões interessante e intrigantes para o desenvolvimento do enredo num todo.

Os atores oferecem atuações bem concisas e expressivas, apresentando sutilezas que se você piscar, é capaz de perder. Mais do que isso, talvez eu não consiga dizer sem revelar detalhes que comprometam a sua experiência.

 

Ficou curiosa (o)? Vá ao cinema descobrir mais por si mesmo e volte aqui pra me contar o que achou.