The Breakdown

Título Original: Wonder Lançamento: 07 de dezembro de 2017 Direção: Stephen Chbosky Roteiro: Steven Conrad, Jack Thorne, Stephen Chbosky baseados no livro de R. J. Palacio Elenco: Jacob Tremblay, Julia Roberts, Owen Wilson, Izabela Vidovic, Sonia Braga Nacionalidade: EUA Gênero: Drama, família
9.0
Pros
Atuações, mensagem, humor pra suavizar o drama
Cons
Duração

O mundo é uma grande bolha e para aqueles que nos cercam, se fugimos um pouquinho que seja de suas expectativas, de suas pré-definições do que é certo ou errado, bonito ou feio, comum ou incomum, nos tornamos uma aberração e alvo de suas críticas e tentativas de impor molduras, conceitos e regras. E nós geralmente temos a tendência de agir de forma semelhante em relação ao outro. Acredito que é algo intrínseco ao ser humano, que requer muito exercício e aprendizado para respeitar, compreender e amar o outro nas suas diferenças e deficiências. E essa é uma possibilidade de crescimento que nos acompanha a vida inteira e para a qual sempre devemos nos atentar e buscar.

Em Extraordinário, a delicada adaptação do livro homônimo de R. J. Palacio que chega ao cinemas no próximo dia 07 de dezembro, podemos acompanhar como tudo o que eu disse anteriormente é verdade e ainda como ser algo comum, caber nos padrões não significa necessariamente ser alguém bom, digno e com quem você gostaria de conviver.

Guiados pelo diretor Stephen Chbosky, esse elenco de encher os olhos nos captura para dentro da história de Auggie (Jacob Tremblay – Gente, que talento esse menino. Totalmente impressionante. -), um garoto de 10 anos, nascido com deficiência facial, que mesmo após um grande número de cirurgias plásticas ainda precisa se esconder atrás de um capacete de astronauta – não por acaso, pois é o que ele deseja se tornar, um astronauta – sempre que sai de casa, para não ser alvo de julgamentos, pré-conceitos e ofensas pela aparência desfigurada que seu rosto ainda possui.

Apesar das dificuldades e todos os obstáculos com os quais tem que lidar, Auggie é um garoto bem humorado, que adora Star Wars e manda muito bem nos estudos, especialmente ciências. Tudo isso fruto dos genes e dedicação de uma família que o ama, o incentiva a se superar e não deixar que nada nem ninguém o impeça de conquistar o que ele sonha. Que se certificam de mostrá-lo que a deficiência dele não o torna menor ou pior que qualquer outra pessoa, apenas diferente. E ainda que por mais difícil que seja enfrentar os medos e as agressões sofridas, ele não pode deixar que isso o prive de viver e explorar todo o seu potencial.

E é por isso que sua mãe, Isabel (Julia Roberts) decide que depois de tantos anos educando-o em casa – ela abdicou de todos os projetos para devotar-se totalmente à ele e às sua necessidades – ele precisa frequentar uma escola tradicional. E não é só para Auggie que isso parece assustador, na verdade toda a família está apreensiva. Entretanto eles se apoiam para fazer dar certo, e mesmo nos momentos mais delicados, conseguem encontrar um caminho em meio aos transtornos.

Extraordinário é sem dúvida um dos grandes filmes do ano, que com sua narrativa e atuações sensíveis nos conquistam e emocionam. O pai, interpretado por Owen Wilson, quebra muito dos diálogos que poderiam se enviesar totalmente no tom dramático, com falas e ações brincalhonas. Julia parece um farol que brilha e guia a todos nessa energia tão natural nela. Até mesmo a participação brevíssima de Sônia Braga, foi um afago no coração. E o diretor Buzanfa, interpretado pelo Mandy Patinkin – o Gideon de Criminal Minds – foi uma grata surpresa. Ele incorpora bem esse personagem sábio e humano. E eu vou te contar, fica difícil não ser impactado e sensibilizado, chorar litros durante a sessão e ainda se questionar o quão empático você tem conseguido ser com o seu próximo. Afinal, é preciso ter empatia para compreender que cada um tem um caminho e necessidades distintas da tua. Que o fato de você ver um sorriso no rosto não elimina as lutas com as quais aquela pessoa tem que lidar, porque por melhor que as coisas estejam, sempre haverá algo com o que se preocupar, algum desafio a superar. E que o  outro que mais vai precisar da sua ajuda, compreensão e carinho é aquele que tá ali todo dia com você e muitas vezes você nem nota. É na família, no circulo de amigos e colegas que se escondem as almas que mais necessitam de um momento da sua atenção.

Quem sabe da dor é só quem a sente, porém a minha, a sua capacidade de ser solidário, de tentar compreender pode fazer diferença no mundo. Inicialmente no seu e no daquela pessoa que cruza o seu caminho e assim consequentemente no restante dele, a medida que atitudes como essas se multiplicarem.

P.S. 1. Não se esqueça dos lencinhos quando for assistir. 😉

P.S. 2. Tem playlist do filme no Spotify pra você já ir entrando no clima.