Festival de Cinema Brasileiro na Rússia acontece pela primeira vez em três cidades


Festival de Cinema Brasileiro em Moscou chega à sua 10ª edição consolidado como um dos principais e mais aguardados eventos de cinema do Brasil no exterior.  O festival, produzido e organizado pela Linhas Produções Culturais,  com o apoio da Embaixada do Brasil em Moscou, acontece na cidade de 3 a 8 de outubro. Este ano, será também realizado em São Petersburgo, de 11 a 15 de outubro, e pela primeira vez em Kazan, de 19 a 22 de outubro.

A sessão de abertura nas três cidades terá a exibição de um dos filmes mais celebrados pela crítica brasileira nos últimos anos: Bingo, O Rei das Manhãs, com direção de Daniel Rezende, indicado pelo Brasil ao Oscar 2018.  A exemplo do ano passado, mais de 800 convidados são esperados para a cerimônia de abertura, no dia 3, às 20h, em Moscou.

Bingo – O Rei das Manhas conta a história real de Augusto, um artista que sonha com seu lugar sob os holofotes. A grande chance surge ao se tornar um palhaço apresentador de um programa infantil na televisão que é sucesso absoluto. Porém, uma cláusula no contrato não permite revelar quem é o homem por trás da máscara. Augusto, o “Rei das Manhãs”, foi o anônimo mais famoso do Brasil nos anos 80. Com muita ironia e humor ácido, ambientado numa roupagem pop e exagerada dos bastidores da televisão da época, o filme conta essa incrível e surreal história de um homem em busca do reconhecimento da sua arte.

O Festival tem também outros destaques, como o filme Aquarius, de Kléber Mendonça Filho, que recebeu vários prêmios internacionais no último ano -melhor atriz para Sônia Braga no Prêmio Platino, na Espanha, e no Festival de Havana (Cuba), melhor filme (World Cinema Amsterdan), Prêmio Fênix para melhor atriz e direção, no México. O filme também participou da seleção oficial do Festival de Cannes, em 2016.

Aquarius tem como personagem central Clara (Sonia Braga), uma jornalista aposentada, com 65 anos, viúva e mãe de três adultos. Ela mora em um apartamento localizado na praia de Boa Viagem, no Recife, Nordeste brasileiro. Foi lá onde ela criou seus filhos e viveu boa parte de sua vida. Interessada em construir um novo edifício no espaço, os responsáveis de uma construtora conseguiram comprar quase todos os apartamentos do prédio, menos o de Clara. Mesmo deixando claro que não pretende vendê-lo, ela sofre todo tipo de assédio e ameaça para mudar de ideia.

Outra atração do Festival é o filme Vermelho Russo, dirigido por Charly Braun. Totalmente filmado em Moscou, o longa-metragem mistura drama, romance e documentário. O filme é inspirado na história real de duas amigas brasileiras que se mudam para Moscou para estudar a técnica stanislavskiana com o renomado professor Vladimir Poglazov. Entre neve, brigas, amores, personagens tchekovianos e muitos litros de vodka, elas são constantemente testadas pelo teatro e pelas próprias diferenças culturais que encontram na Rússia.

Outro destaque é a comédia O Roubo da Taça, também baseado em fatos reais, que traz, com muito humor, a incrível história do roubo da Taça Jules Rimet, que o Brasil venceu após conquistar o tricampeonato mundial de futebol em 1970. O Festival traz ainda em sua programação os filmes Pequeno Segredo (drama), O Amor no Divã (comédia), A Despedida (drama), BR 716 (drama/comédia), Califórnia (drama), O Vendedor de Sonhos(drama) e Axé – Canto do Povo de um Lugar (documentário).

“O Festival de Cinema Brasileiro na Rússia se consolidou como um dos maiores eventos do cinema brasileiro fora de nosso país. É um evento muito aguardado. É impressionante ver quantos russos amam o Brasil e criam comunidades, reais e virtuais, sobre nossa cultura. O festival certamente ajudou, nos últimos 10 anos, a fomentar essa paixão”, afirma Fernanda Bulhões, diretora da Linhas Produções Culturais e curadora do festival. Segunda ela, a seleção de filmes deste ano está imperdível. “O Brasil já produz cerca de 150 longas-metragens por ano e posso assegurar que os filmes deste ano estão entre os melhores que o Brasil já produziu recentemente”, diz.

Para o chefe do setor cultural da Embaixada do Brasil em Moscou, Luiz Costa,  a consolidação do festival como o principal evento ligado à cultura brasileira na Rússia é uma prova inequívoca do crescimento do interesse dos russos pelo Brasil. “O cinema é uma das melhores maneiras de aproximação entre os povos e culturas. Chegar à décima edição do Festival em Moscou é prova do sucesso desse evento, que já faz parte do calendário cultural da cidade”, afirma.