Fora de Rumo | Crítica 2


Jackie Chan, já mundialmente famoso por seus filmes de ação com muita comédia nos apresenta agora “Fora de Rumo”, seu mais novo longa no qual divide o estrelato e as piadas com Johnny Knoxville.

O longa que faz sua estreia hoje em circuito nacional, tem direção Renny Harlin e conta a história do detetive Bennie Black (Chan), um homem que após perder seu parceiro durante uma operação, fica obcecado em provar que  Victor Wong (Winston Chao) é o grande chefe do crime e responsável pela morte de seu amigo.

Fora de Rumo

Contudo Wong está sempre escapando ileso e Bennie se vê cada vez mais distante de conseguir o que deseja. Porém a sua afilhada, Samantha (Fan Bingbing) de quem ele cuida desde a morte do pai (parceiro de Bennie), decide ajudá-lo a investigar e passa a trabalhar no cassino que pertence a Victor. Lá ela conhece Connor Watts (Knoxville), um daqueles jogadores inveterados, fanfarões e metidos a espertos que estão sempre se metendo em confusões.

Só que dessa vez a encrenca é maior, pois ele acaba envolvendo Sam e com isso Bennie, que precisa ir atrás do moço e trazê-lo de volta à China para salvar a vida de sua afilhada. A partir desse momento temos uma série de belas paisagens, personagens caricatos e divertidos com quem eles cruzam nessa jornada e ainda Chan surpreendentemente cantando Adele (imperdível).

Fora de Rumo

Como bom espertalhão, Connor tem pendências com mafiosos Russos, o que gera uma das cenas mais legais do filme, onde Bennie vai resgatá-lo e é surpreendido por Dasha (Eve Torres), com quem se  recusa a lutar por ela ser mulher, e para se defender dos golpes dela ele usa matrioskas, aquela tradicional boneca russa pintada à mão e que é composta por uma série de bonequinhas encaixadas formando uma maior.

Fora de Rumo

Como é de se  esperar dos filmes de Jackie Chan, este vem repleto de boas cenas de lutas e muito humor, especialmente nos créditos que já viraram hábito. Toda essa jornada leva Bennie a reencontrar um sentido para a vida que não fosse o trabalho e a busca por vingança. Não é uma história original, mas consegue fazer sentido e entreter. Sendo fã de Chan, assim como esta pessoa que vos escreve, fica difícil não gostar.

Título Original: Skiptrace
Direção: Renny Harlin

Roteiro:
Jay Longino, Brian Gatewood, Alessandro Tanaka
Elenco:
Jackie Chan, Johnny Knoxville, Bingbing Fan, Eric Tsang

Nota do Filme: [yasr_overall_rating size=”medium”]