Nota:

Data de lançamento 4 de julho de 2019 (2h 10min) Direção: Jon Watts Elenco: Tom Holland, Jake Gyllenhaal, Zendaya mais Gênero Aventura Nacionalidade EUA
8.0

Excluindo aquelas pessoas que comem batatas fritas e remexem na sacola no volume total, a nostalgia pode ser a pior companheira para uma sessão de cinema. Não é apenas difícil de ignorar; Ela também pode condicionar a experiência de ver, e desfocar as sensações de um filme , trazendo à tona algumas comparações que, além de serem odiosas, são desnecessárias.

Para muitos, ‘Homem-Aranha: De Volta ao Lar‘ foi parcialmente prejudicado pela longa sombra do fantástico ‘Spider-Man 2’ – 2004. Embora, além disso, e apesar de suas virtudes, será que a Marvel desperdiçou uma oportunidade de ouro de devolver a glória perdida ao bem de Peter Parker?


Com isto em mente, as minhas expectativas para ‘longe de casa’ não eram muito altas, resignando-me a esperar apenas por um divertimento passageiro, que iria servir para encerrar ‘Endgame’ e iria abrir o caminho para uma “fase 4” hipotética. Me dei mal, porque Jon Watts, repetindo a direção, nos deu finalmente um delicioso épico aracnídeo, olhando cara a cara ao clássico de Sam Raimi, e nos convidando a deixar lá atrás todos os tipos de anseios para reverenciar a carne nova do aranhaverso.


Um dos maiores sucessos de ‘De Volta ao Lar‘ foi baseado em sua agradável mudança de tom, e no modo como ele abraçou seus referencias sem qualquer tipo de modéstia, centrado nos lendários filmes de ensino médio de John Hughes. A partir dessa base, ‘Longe de casa’ oferece um coquetel muito diferente que mantém uma pequena parte do estilo Hughes, não hesitando em se comprometer totalmente com a comédia adolescente romântica, recheada com piadas extras que funcionam às mil maravilhas, é claro, pontuada pelo humor “made in Marvel”.

No filme, Os eventos acontecem logo após a batalha com Thanos, então recomendo que você não continue lendo esse texto se ainda não viu Endgame. Se você está pronto para a ação, então lhe digo que vemos um Peter Parker retomando à sua vida normal no ensino médio. Agora é hora de participar de uma viagem de fim de curso para vários países da Europa.

Tanto Peter quanto o resto do mundo são marcados pelas ações do Homem de Ferro na batalha final, então, agora o protagonista se pergunta se ele é capaz de viver de acordo com seu mentor. Quando o grupo de alunos inicia sua jornada, eles encontram monstros ‘elementais’ que destroem tudo, mas, um herói desconhecido que é rapidamente apelidado de ‘Mysterio’ (interpretado por Jake Gyllenhaal), aparece para salvar o dia com o apoio de Nick Fury (Samuel L. Jackson) e Maria Hill (Cobie Smulders).


Assim, ‘Homem-Aranha Longe de Casa’ coloca o escalador de paredes contra dois grandes desafios. Por um lado, encontrar uma maneira de ajudar Mysterio a descobrir seu verdadeiro potencial como herói. Por outro lado estreitar finalmente a sua relação com ‘MJ’. Sim, porque a personagem interpretada por Zendaya agora se torna um interesse romântico expressivo.


E não se preocupe, porque o diretor ouviu as principais críticas ao Homecoming, e nesta edição houve muito mais ação. Podemos ver o Homem-Aranha executando todos os tipos de cambalhotas, atirando teias e balançando entre dezenas de perigos em câmera lenta. Mysterio também não fica para trás, mostra a sua completa habilidade para o heroísmo, e até nos entrega momentos surreais, onde as sequências de luta brilham ainda mais. Tudo isso, apoiado por um Jake Gyllenhaal sempre profissional e eficaz, que dá muita presença ao personagem. Este conjunto faz desse filme muito mais dinâmico e espetacular que seu antecessor. Boa parte dos fãs apreciarão especialmente os novos figurinos do Homem-Aranha (sim, há mais de um).


Mas como nem tudo são flores, aqui o filme peca na forma como as motivações do vilão – em uma cena de exposição oral, são preguiçosamente reveladas. Ainda assim, Gyllenhaal desconfortável se esforça no seu monologo quase teatral. Também é verdade que, até que isso aconteça, temos que “suportar” aquele primeiro ato mais focado na vida cotidiana e nos interesses amorosos de Peter, que se torna um pouco denso demais.

Nesse sentido, uma dica que você certamente irá me agradecer: embora o trailer se refira ao Multiverso que revela Mysterio, saiba que este não é um épico multidimensional. Se assistir sem essa expectativa, irá desfrutar mais das filmagens.

É nos momentos que o filme se atreve a desenvolver seus personagens, que ele nos faz cair na armadilha para entrarmos no estado de graça. Isso ocorre com alguns secundários que completam a trajetória de Tom Holland. De alívios cômicos como os professores que acompanham Peter e seus companheiros de viagem, até os principais como ‘Happy’ (Jon Favreau), May (Marisa Tomei) e MJ, compartilham uma grande química com Holland – cada um deles está a serviço de trazer progresso, e acabam contribuindo para que o ator britânico se reafirme como um Homem-Aranha perfeito. Herói e humano em partes iguais, e com o qual é impossível não se identificar.

Depois de um par de divertidíssimas horas que passam voando, recebemos um primeiro pós-crédito que marca um enorme ponto de virada para o cabeça de teia. Assim, eu não poderia fazer nada, além de simplesmente me render a um ‘Longe de casa’ muito mais animado, que nos estimula a sonhar que um dia, talvez eu possa subir em um arranha-céu com minhas próprias mãos e ver o mundo de outra perspectiva. Apesar disso, tenho certeza que ao contrário de mim, muitos odiarão.