James Gunn está de volta a “Guardiões da Galáxia”!


James Gunn: demitido em 2018, o diretor foi recontratado para reassumir a terceira parte de "Guardiões da Galáxia" (Foto: Divulgação)

A Disney, dona do Marvel Studios, voltou atrás em sua decisão e recontratou  James Gunn para dirigir Guardiões da Galáxia Vol. 3. O diretor havia sido demitido em 2018 após tweets ofensivos de Gunn, com piadas envolvendo pedofilia e estupro, reaparecerem na internet.

A demissão gerou revolta dos fãs e também do elenco, incluindo Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista e Bradley Cooper, que assinaram uma carta aberta contestando a decisão da companhia baseada em publicações feitas há anos.

Em seu perfil no Twitter, onde Gunn não publicava nada desde a demissão, o diretor comemorou o seu retorno com um pequeno texto:

“Sou tremendamente grato a todos que me apoiaram nos últimos meses. Estou sempre aprendendo e continuarei trabalho para ser o melhor ser humano que posso ser. Fico profundamente feliz com a decisão da Disney e estou excitado para continuar fazendo esses filmes que investigam os laços de amor que ligam todos nós. Eu fiquei e continuo impressionado e movido pelo amor e suporte de vocês. Do fundo do meu coração, obrigado. Eu amo todos vocês.”

Após a demissão, o diretor foi contratado pela DC para assumir a continuação de Esquadrão Suicida, que deve estrear em agosto de 2021. Por esse motivo, a Disney prometeu respeitar a contratação e adiou o início da produção da terceira parte de Guardiões para depois dos trabalhos com a “concorrente” serem concluídos.

Guardiões da Galáxia estreou em 2014 e faturou 773 milhões de dólares em bilheteria ao redor do mundo. A continuação veio três anos depois e se deu um pouco melhor, com 863 milhões. Apesar da demissão, a Disney tinha a intenção de utilizar o roteiro que já havia sido escrito pelo diretor.