O Lar das Crianças Peculiares | Crítica 2


Se há alguém nesse mundo capaz de extrair até mesmo dos lugares mais improváveis ou das coisas mais sinistras beleza e magia, esse alguém com certeza é o multitalentoso Tim Burton. Em seu mais recente trabalho que chega aos cinemas nesta quinta, 29 de setembro, o filme “O Lar das Crianças Peculiares”, o diretor brinca com as possibilidades escondidas numa fração de tempo, na qual vivem um grupo de crianças com poderes únicos e sua tutora, tão especial quanto eles.

O Lar

Nesse mundo em que as cores são mais fortes e pulsantes, tudo parece uma questão de acreditar e mergulhar profundamente no desconhecido, deixando-se guiar pelo encanto presente no ar. E para nos conduzir temos Jake, vivido por Asa Butterfield – que cumpre muito bem sua missão -, um protagonista com olhar desconfiado, surpreso e em algum nível deslumbrado, que assim como nós é convidado a acreditar no improvável. E esse seria o poder de Burton, nos fazer acreditar, nos envolver completamente na história que ele se propõe contar.

OLar

Não bastasse ser um projeto desenvolvido por Tim Burton, trata-se também de uma adaptação ou melhor dizendo uma inspiração do best seller “O Orfanato da Srta Peregrine para Crianças Peculiares”, com isso o filme já chega carregado de expectativas, o que pode ser um problema, visto que provavelmente para quem já leu isso pode acarretar certo desapontamento – algo bem comum na relação leitores e adaptações – , contudo para aqueles que não estão a par da narrativa presente no livro, é possível se deixar levar completamente.

Um dos grandes trunfos da obra com certeza é sua fotografia, que exalta cada detalhe de cenário, figurino e ainda cada uma das expressões produzidas pelo elenco, numa história que vem carregada de um tom sombrio porém divertido, característica bem marcante nos trabalhos do diretor. Você pode inclusive identificar isso bem forte no personagem de Samuel L. Jackson, que traz um vilão bem caricato e sarcástico.

o-lar-

Porém o grande destaque fica com a espetacular Eva Green (Srta Peregrine), seja através dos gestos, dos olhares ou da fala, ela faz tudo aquilo ser crível, tentador, provocante e envolvente. E é por tudo isso e também por ter a música Wish That You Were Here da Florence + The Machine encerrando lindamente o filme que eu aconselho você a dar uma chance e correr para o cinema mais próximo.

Título Original: Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children
Direção: Tim Burton
Roteiro: Jane Goldman
Elenco: Asa Butterfield, Eva Green, Ella Purnell, Samuel L. Jackson
Distribuição: 20th Century Fox 

Nota filme: [yasr_overall_rating size=”medium”]