Os Meninos que Enganavam Nazistas | Crítica


França, 1941, Os nazistas ocupam todo país, obrigando a família judia Joffo a se separar. Os jovens  irmãos judeus Maurice (Batyste Fleurial) e Joseph (Dorian Le Clech) precisam fugir da ameaça para não serem mortos.  Sozinhos terão que ser espertos para chegarem a zona livre e juntar a família novamente.

Com roteiro e direção do Canadense Christian Duguay, sua estrutura é de um road movie. A cada episódio vemos um modo diferente dos meninos fugiram dos nazistas, as vezes os enganando-os diretamente, às vezes passando despercebido por eles. E, apesar da primeira vista, parecer que temos um filme triste, isso não acontece. As crianças preservam a infância através de piadas e brincadeiras jocosas, e entre eles há, genuinamente, um sentimento de cuidado reforçado diante de toda brutalidade do que está acontecendo. O roteiro tenta criar um sentimento de união da família que, às vezes é crível, realista, outras vezes é romantizado, o que acredito ser devido a obra em que se baseia. Uma história real contada 30 anos após os acontecimentos (o livro contando a história dos irmãos foi lançado em 1973) pelo próprio Joseph. Muitas vezes o desenvolvimento dos personagem parece incompleto, fragmentado demais o que não nos deixa envolver suficiente.

Quanto a direção, há um acompanhamento da mesma estrutura do roteiro. O diretor é competente em nos fazer sentir a ameaça nazista e em criar momentos tensos, situações que tememos realmente pelo destino dos dois. Contudo também sofre pela oscilação do roteiro, muitas vezes nos desconectamos dos personagens e não conseguimos ser tocados pela situação apresentada.

Quanto aos jovens atores, Dorian Le Clech carrega o filme com competência (esse é o seu primeiro filme), transparece muito bem a oscilação de sentimentos do personagem. Já Batyste Fleurial convence como um irmão capaz de fazer qualquer coisa pelo caçula que lhe foi confiado. Patrick Bruel como o patriarca Romam, faz um homem que apesar de orgulhoso da sua religião é capaz de engoli-lo para que sua família possa sobreviver. E é comovente os momentos em que ele sofre por suas crianças. Elsa Zylberstein é a Anna,  matriarca da família, e é aquela que apesar de preocupada quando os meninos precisam se virar só, é aquela que mais confia neles.

‘Os Meninos que Enganavam Nazistas’ é um filme importante para termos outras visões sobre um dos momentos mais importantes da história do mundo. Oscilante, mas com momentos excelentes, de sentimentos puros. É um filme simples, recheado de momentos tocantes, vale a pena ser conferido.

Data de lançamento 3 de agosto de 2017 (1h 53min)
Direção: Christian Duguay
Elenco: Dorian Le Clech, Batyste Fleurial, Patrick Bruel mais
Gênero Drama
Nacionalidades França, Canadá, República Tcheca
[yasr_overall_rating size=”medium”]