Nota:

Data de lançamento 22 de fevereiro de 2018 (2h 16min) Direção: Alexander Payne Elenco: Matt Damon, Kristen Wiig, Christoph Waltz mais Gêneros Comédia , Comédia dramática Nacionalidade EUA
6.0
Pros
Fotografia, Mote e Direção
Cons
Arrastado e pouco perdido.

Você pode imaginar que, no futuro, todos nós encolheremos e vivamos em sociedades pequenas para começar do zero e melhorar nossas vidas? Esta é a idéia que descreve ‘Pequena Grande Vida’, o novo filme de Alexander Payne. Escrito pelo próprio diretor, como sempre com Jim Taylor, eles nos trazem uma história que se move de um conceito de ficção científica e nos leva a uma comédia dramática onde o diretor mantém sua sátira em direção ao Estilo de vida americano.

Com base em uma idéia mais do que interessante, o roteiro tem muitos altos e baixos que tornam tão divertido quanto lento. À medida que o filme progride, parece que a história começa a diminuir a velocidade, perder o ritmo e acabar preso em um beco sem saída com um final que se torna indiferente. É que um conceito como esse apresenta suas complexidades, pois nos informa sobre mudanças que afetariam a maneira como vemos a sociedade, a ecologia e assim por diante. Muito disso é misturado entre os problemas do protagonista Paul Safranek (Matt Damon), um cidadão americano médio que decide submeter-se a um processo irreversível de redução de tamanho para refazer e melhorar sua vida.

Na cidade de Omaha, muitas pessoas descobrem essa possibilidade, a fim de terem menos gastos vivendo em pequenas comunidades que se espalham pelo mundo. Encantado após ter contato com amigos que passaram pelo processo, Paul decide convencer sua esposa Audrey (Kristen Wiig) a adotar o curioso novo estilo econômico de vida. Mas os planos nem sempre dão certo e depois de várias decepções, ele deve começar do zero com novos amigos e uma nova maneira de ver as coisas, ajudando aqueles que mais precisam.

Deixando de lado as boas cenas que o protagonista nos dá, os melhores momentos são proporcionados por Christoph Waltz, astro de Bastardos Inglórios e Django livre, que aqui incorpora Dusan, um empresário excêntrico, amigo e vizinho de Paul. Devemos também reconhecer o bom trabalho da atriz tailandesa Hong Chau, que interpreta Ngoc Lan Tran, uma pobre ativista vietnamita que foi reduzido contra a vontade e que começa a ganhar os sentimentos de Paul.

Conhecendo e levando em conta o bom trabalho de Payne no momento da direção, neste filme precisamos nos atentar também para a fotografia de Phedon Papamichael. Algumas cenas são fantásticas muito pelo trabalho dele. Se o Downsizing fosse a prova de um aluno, certamente esse seria um aprovado, mas com vários sinais de atenção. Um filme que, sendo abraçado por comédia e drama, poderia ter sido muito mais do que o que acabou por ser, mas isso não deixa de ter uma idéia que o torna atraente de modo que pelo menos uma chance seja dada.