Projeta às 7h | Viva o cinema brasileiro!


Desde que iniciamos o projeto do CinemaSim em 2015, o cinema brasileiro sempre esteve presente no site e com o tempo nossa consciência da importância de abrir espaço para essas obras, valorizar o que é nosso e incentivar o nosso público a conhecer mais do cinema nacional era uma missão que nos interessava.

Recentemente temos tido cada vez mais boas novas que ficamos felizes em compartilhar aqui, e hoje temos a alegria de apresentar um pouquinho mais sobre o Projeta às 7h, uma janela inédita na programação semanal da Cinemark em 19 cidades e 20 salas em todo o Brasil.

Com curadoria da Elo Company selecionando esses longas-metragens, desde o último dia de 3 de maio, obras brasileiras de ficção e documentais passam a ser exibidas de segunda a sexta-feira, às 7h da noite, em sessões de pré-estreia por 2 semanas, com ingressos a preços especiais de R$ 12 a inteira e R$ 6,00 a meia. O Projeta às 7, tem a iniciativa de levar em seu primeiro ano de atividade 14 títulos inéditos às salas de cinema da maior rede exibidora do país. A programação será dedicada a obras que normalmente têm pouco espaço no circuito comercial.

Os filmes do Projeta às 7 poderão ser conferidos em 20 cinemas de 19 cidades: São Paulo (Shoppings Eldorado e Santa Cruz), Rio de Janeiro (Downtown),Aracaju (Shopping Jardins), Belo Horizonte (Pátio Savassi), Brasília (Pier 21), Campinas (Iguatemi), Campo Grande (Shopping Campo Grande), Cuiabá(Shopping Goiabeiras), Curitiba (Shopping Miller), Goiânia (Shopping Flamboyant), Londrina (Boulevard Londrina), Natal (Midway Mall), Porto Alegre (Barra Sul), Recife (Riomar), Ribeirão Preto (Novo Shopping), Salvador (Salvador Shopping), Santos (Praiamar), São José dos Campos (Colinas) e Vitória (Shopping Vitória).

 

Divulgado em uma coletiva para a imprensa e convidados no dia 26 de abril, no Cinemark Shopping Cidade de São Paulo que contou com a participação de Bettina Boklis, diretora de marketing da rede e com sócia-diretora da Elo Company, Sabrina Nudeliman Wagon apresentando e partilhando detalhes do projeto, a rede de cinemas dá mais um passo na valorização do cinema nacional ao criar esse braço de uma ação que já vem sendo desenvolvida pelo Cinemark há 18 anos, o Projeta Brasil – um dia totalmente dedicado aos filmes brasileiros, com ingressos a preços populares e renda totalmente revertida para outras ações de valorização do audiovisual brasileiro. Nesse período, o Projeta levou mais de 2 milhões de espectadores para as salas da Rede e a expectativa é de que com mais esse incentivo, o público consumidor de cinema nacional poderá crescer ainda mais nos próximos meses.

“O Projeta às 7 dá ainda mais voz ao cinema brasileiro. Vamos amplificar o portfólio de filmes nacionais para fomentar o interesse do espectador da Cinemark por obras que nem sempre têm a chance de chegar aos cinemas, incluindo documentários, filmes de fora do eixo Rio – São Paulo e assinados por diretores estreantes. Vamos, assim, atender à crescente demanda do público por diversidade de gêneros e narrativas.

Com essa programação, a Cinemark aumenta significativamente a diversidade de títulos brasileiros exibidos ao longo do ano, além de incorporar com consistência o gênero documentário à programação ”, afirma a diretora de marketing da rede Bettina Boklis.

“Trata-se de uma iniciativa revolucionária para o audiovisual brasileiro: 20 títulos nacionais serão lançados comercialmente por ano – o que significa um aumento de cerca de 13% dos lançamentos de filmes nacionais de todo mercado (são aproximadamente 150 títulos/ano). Além disso, o público de shoppings e salas comerciais terá acesso a filmes que historicamente não seriam exibidos no circuito. Temos certeza da formação de público e maior visibilidade dos títulos com a parceria”, comemora Sabrina Nudeliman Wagon, sócia-diretora da Elo Company, que já distribuiu mais de 400 títulos brasileiros nas diversas mídias.

Com mais de dez anos de experiência, a Elo Company é referência em inovação nos modelos de negócio e estratégias personalizadas de distribuição, tendo no portfólio títulos como “O Menino e o Mundo” (Indicado ao Oscar), “Espaço Além – Marina Abramovic e o Brasil” (Primeiro Vimeo Original) e “SOS Mulheres ao Mar 2”.

Três filmes já estão listados pelo projeto: o longa de ficção “Querida Mamãe”, de Jeremias Moreira Filho; o documentário “Em Um Mundo Interior”, de Mariana Pamplona e Flavio Frederico, que acompanha a vida de sete famílias com crianças autistas; e o drama pernambucano “Amores de Chumbo”, de Tuca Siqueira.

Bettina contou também que a escolha do horário para as sessões às 7h da noite foi no intuito de contemplar todas as pessoas que se interessassem e que mesmo após o trabalho teriam a opção de usufruir dessa experiência que é ir ao cinema, por um preço especial e com produções diversificadas e de qualidade.

Outro detalhe importante é que eles ainda estão com espaços disponíveis na programação ao longo desse ano e convidam aqueles realizadores que tenham interesse a enviar o seu projeto para a Elo, responsável pela curadoria do projeto.

Para isso, os interessados podem entrar em contato com a Bábara Sturm, diretora de conteúdo da Elo pelo email barbara@elocompany.com.

Além disso, o projeto pensa no público e em como oferecer obras que contemplem histórias diversas, bem como produções de realizadoras mulheres e ainda documentários.

O colega Tom Dutra do Dicas do Tom, fez um questionamento muito pertinente, que é sobre a possibilidade de curta-metragens também ganharem um espaço de exibição nos cinema.

Para Bettina e Sabrina, embora essa ainda não seja uma realidade prevista no projeto, é sim uma questão a ser avaliada e com a possibilidade de ser implementada ao correr do desenvolvimento dele.

Quando perguntei sobre a abertura também para documentários dentro da programação e como isso incentiva a produção de documentários nacionais, Sabrina deixou claro que trata-se de um projeto que tem como meta final a lucratividade, pois se tratam de empresas privadas e com fins lucrativos, então o que eles estão fazendo é porque entendem que são filmes de arte sim, porém que podem ganhar espaço no mundo inteiro, como aconteceu com O Menino e o Mundo, e Espaço Além – Marina Abramovic e o Brasil que foram vendidos para diversos países.

Após as exibições em pré-estreia – que segundo as executivas funcionará como uma espécie de pré-estreia estendida -, os títulos serão lançados comercialmente em outras salas e seguem a vida comercial em outras janelas.

Para mais detalhes, acessem o site do Projeta às 7h! 😉