PS! | O que esperar da 3ª temporada?


A série nacional PS! da HBO que acompanha o psicólogo, psicanalista e psiquiatra Carlo Antonini (Emílio de Mello) chega a sua terceira temporada, com estreia no próximo dia 09 de abril e nós do CinemaSim! fomos convidados para assistir a primeira história que foi dividia em dois episódios e participar de um rápido bate-papo com o criador, roteirista e diretor Contardo Calligaris, Emílio que vive o protagonista e ainda com Maria Angela de Jesus, vice-presidente de Produções Originais da HBO Latin America.

Diferente das temporadas anteriores a série agora irá se aprofundar um pouco mais nos dramas e conflitos dos pacientes, para isso a equipe decidiu explorar cada história em dois episódios, de forma que a série ganha um novo ritmo, evidenciando inclusive a humanidade e fragilidade do protagonista que muitas vezes é tido como um super -herói, capaz de solucionar todas as questões que surgem em seu caminho.

Nesse momento da história descobrimos que embora ele lide diariamente com problemas dos mais diversos possíveis, ele não está imune a se envolver, ainda que involuntariamente nas histórias daqueles que procuram nele auxilio e respostas. Ele demonstra que mesmo com toda a experiência e capacitação o profissional ainda é um ser humano, que também se aflige ao confrontar suas próprias mazelas e impotência diante da vida. Segundo Maria Angela, esta proposta de apresentar o protagonista em outra posição, permite se aprofundar mais nas histórias que estão sendo contadas e o tornar mais próximo do público, uma coisa bem pensada desde que começaram a desenvolver o projeto para a terceira temporada, pois isso agregaria o novo tom que eles desejavam para a série.

Emílio contou como foi importante a sinergia entre os atores, da troca que há entre eles para a construção dos personagens e como isso se reflete na tela. Ele disse ainda que constrói seu personagem a partir da relação dele com seus pacientes, e a medida que ele vai interagindo com novos personagens ele vai ganhando novas camadas.

A primeira história é focada em Aurora – personagem inspirada em uma jovem que foi paciente de Contardo – , uma moça que aos dezoito anos, muitos sonhos e desejos, decide encurtar o sofrimento causado pela doença da qual é portadora e lhe impede de viver plena e feliz através do suicídio assistido, procedimento ainda proibido em nosso país. A sua decisão não é fácil, nem para ela nem para aqueles que a cercam, trazendo a tona reflexões bem pertinentes à todos nós, uma vez que estamos passíveis de nos encontrar em situação semelhante ou mesmo para aqueles que já a vivenciam.

Embora não tenha acompanhado as outras duas temporadas, a série me ganhou nos primeiros segundos de sua abertura e foi me envolvendo de uma forma em sua história que despertou logo o desejo de “maratonar” todas as temporadas. Com atuações marcantes, questionamentos e reflexões existenciais e sociais bem pertinentes, PS! merece atenção. Vá de mente e coração abertos!