Nota:

Data de lançamento 12 de abril de 2018 (1h 47min) Direção: Brad Peyton Elenco: Dwayne Johnson, Naomie Harris, Malin Åkerman mais Gêneros Aventura, Ação Nacionalidade EUA
5.0

Já está claro para nós que filmes baseados em videogames têm sofrido, às vezes comercialmente e quase sempre de forma crítica. Desde “Super Mario Bros.” que iniciou o gênero, até jogos de luta cara-a-cara, aventuras narrativas em primeira pessoa, e até mesmo simuladores de corrida foram transformados em filmes muitas vezes lamentáveis. Assim, com “Rampage”, baseado no jogo de 1986 e estrelado por Dwayne Johnson, que será lançado essa semana (12/04), os espectadores retornam a uma pergunta frequente: por que ainda não houve um grande sucesso de bilheteria e um queridinhos dos críticos vindo direto do videogame?

É uma pergunta de difícil resposta, mas talvez esteja apenas faltando os talentos certos com a inspiração certa!

Para quem não sabe ‘Rampage: Destruição Total é a adaptação cinematográfica do jogo de arcade ‘Rampage’. Um dos ícones da indústria de entretenimento eletrônico, em que todos os tipos de monstros atacam e destroem cidades.

Confira o game:

O filme estrelado por Dwayne Johnson nos apresenta Davos Okoye, um primatologista que tem um vínculo com George, um gorila extraordinariamente inteligente que ele cuidou desde o nascimento. Embora o ator já tenha trabalhado com Brad Peyton, esta é uma história completamente diferente, sobre amizade e heroísmo. George é um macaco vítima de um experimento genético que como suspeitamos, não deu certo. A partir daí, o primata se torna mais violento, e logo se descobre que outros animais sofrem a mesma alteração. Assim, começa a luta contra um lobo e um enorme crocodilo. Esse encontro é um perigo para a humanidade, e enquanto as criaturas destroem tudo o que acham pelo caminho, Okoye tenta encontrar um antídoto para evitar uma catástrofe e salvar seu amigo.

A direção de Brad Peyton não evolui, é basicamente a mesma coisa de seus outros filmes, mas apesar disso suas cenas de ação se demonstram bastante coesas, a correia aqui faz todo o sentido e nós conseguimos entender cada tomada.

Diferente do game originário, os animais demonstram mais empatia com a realidade, e o enredo onde se embasa o motivo das transformações foi um acerto, e nós passamos a comprar a ideia de que os monstros não são simplesmente gigantes sem proposito. Destaque para o design das criaturas, ainda ficamos impressionados com a evolução da tecnologia no cinema.

Em momentos Dwayne Johnson parece repetir o seu personagem de tantos outros filmes, tanto que muito do longa se apoia no carisma do ator para se salvar de qualquer negativação. Mas isso parece ser um tanto chato e clichê. Por falar em Clichê, o filme está repleto deles, seja nas cenas onde o herói é tão previsível, ou nas piadas que o próprio The Rock já usou em outros filmes por aí.

A direção é algo que realmente nos confunde, hora temos um filme descompromissado, feito apenas para nos divertir, mas isso muda quando parecem ter decidido levar tudo aquilo mais a sério, porém, algumas outras interpretações mostram personagens que deviam ser devastadores, tão fracos e bobos que pedimos para passar adiante. 

Então para você que adora uma catástrofe e pura destruição, esse será um divertimento garantido, essas cenas acontecem  muitas vezes sem justificativa, mas um apocalipse é um apocalipse (eu amo). Para quem espera uma história mais levada a sério, esse não é o filme indicado.

Anterior Nova foto de 'Homem-Formiga e a Vespa' é divulgada
Próxima O Dia Depois | Crítica

Sem Comentários

Deixe uma Mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *