The Breakdown

Data de lançamento 18 de janeiro de 2018 (1h 44min) Direção: Adam Robitel Elenco: Lin Shaye, Leigh Whannell, Angus Sampson mais Gênero Terror Nacionalidade EUA
4.0

O terror, é um dos gêneros mais maravilhosos para se trabalhar em qualquer uma das suas formas, cinema, literatura ou até teatro, mas ao mesmo tempo é o mais complicado de gerar um produto final que o deixa com sentimentos de ansiedade, nervosismo ou medo. Mas é mais com aqueles sustos cruéis e previsíveis, que ‘Sobrenatural’ tenta capturar a sua alma.

Sobrenatural: A Última Chave’, procura fechar um pouco a história de Elise Reiner, que junto com sua estranha equipe de trabalho, Specs e Tucker são convocados por um homem pedindo ajuda para se livrar de uma entidade que o atormenta , Elise não teve nenhum problema em ajudar este homem, até descobrir o endereço dos fatos, porque é na antiga casa que ela morava com sua família e onde ocorreram eventos bastante traumatizantes.

Assim Elise fechará esses medos e traumas de sua infância, ajudando esse homem e, além disso, ela também esclarecerá muitas dúvidas sobre sua família.

No início, ‘A Última Chave’, parece um filme sério, com cenas apresentadas nesse sentido, embora os sustos sejam baratos, como em muitos outros filmes deste tipo; você pode perceber uma seriedade no roteiro e na trama, só que isso não dura muito, pois, a segunda metade do longa, perde muito sentido, acompanhada pela personalidade de Elise e seu time, você sente às vezes que você está assistindo um capítulo de Scooby Doo, com piadas ruins e situações desconfortáveis ​​que rompem completamente com o estilo de terror.

Os clichês não param de cair em todos os lugares, eu entendo que um ou dois aparecem de vez em quando, eles funcionam se forem aplicados corretamente, mas aqui em ‘Sobrenatural: A Última Chave’, eles nos cansam porque são infinitos, especificamente em uma cena quase no final, que os deixarão entediados.

O filme constantemente perde a continuidade, deixa muitas dúvidas sobre por que um personagem decidiu fazer algo, então não espere algo sério, é uma mistura de situações e ações que não levam a nada, apenas para justificar sons bruscos e bastante previsíveis.

‘Sobrenatural: A Última Chave’ abriu uma porta e deixou muitas dúvidas, rompeu sentimentos de terror com diálogos “engraçados” e ações desconfortáveis, os personagens são apresentados como um grupo de detetive caricato, o que não é totalmente compreendido, e para completar, seu desfecho não ajuda muito.