Nota:

Título Original: Please Stand By Lançamento: 26 de abril Direção: Ben Lewin Roteiro: Michael Golamco Gênero: Drama, comédia Elenco: Dakota Fanning, Toni Collette, Alice Eve, River Alexander, Jessica Rothe, Matt Corboy, Tony Revolori Nacionalidade: Estados Unidos
9.7
Pros
Roteiro, atuações.
Cons
-

“O desconhecido existe para ser conquistado, não temido.”

Com uma das falas da protagonista Wendy (interpretada sensivelmente por Dakota Fanning) abro esse texto sobre Tudo que quero, filme que fez sua estreia no Brasil recentemente.

Aos 21, Wendy é uma jovem inteligente, sagaz, sensível e bela que adora Star Trek e ao descobrir um concurso de roteiros baseado na história e promovido por um canal de televisão, ela parte numa jornada admiravelmente incrível para conseguir participar, entregando seu roteiro pessoalmente já que por algumas questões ela não conseguiu enviar em tempo hábil pelos correios.

Mais que uma roadtrip na busca por um objetivo, a viagem se torna uma experiência surpreendente para Wendy e as pessoas próximas à ela, pois comprova a superação gigantesca da moça em suas limitações, na sua capacidade de sobrevivência e de lutar pelo que deseja, sem em momento algum desistir por mais difícil que fossem as situações que se apresentavam ou se intimidar pelo desconhecido.

Sua capacidade de discernimento, análise e empenho diante de seus desafios transmitem uma energia poderosa e instigante, desperta um desejo de ser tão obstinada e forte quanto ela demonstra ser na história, principalmente porque ela vai contra todas as percepções que possuem dela, não se deixando fragilizar, pelo contrário, usando-as como combustível para conduzi-la ao seu objetivo.

E como se isso já não fosse o suficientemente inspirador para qualquer um de nós, ainda existe um detalhe que agrega mais valor à essa trajetória, o fato de Wendy ter autismo, um transtorno que causa problemas no desenvolvimento da linguagem, nos processos de comunicação, na interação e comportamento social.

Bem desenvolvido, emocionante e ao mesmo tempo divertido, com uma trilha sonora gostosa de ouvir, o filme ainda conta com atuações marcantes. Trata-se de uma belíssima obra que provoca reflexões tão pertinentes, tão necessárias, além de uma empatia e admiração profundas com a personagem. Junto à Dakota, Toni Collette e Alice Eve conduzem toda a história de maneira muito humana, bela e produtiva, fazendo valer e muito a ida ao cinema.

 

Curiosidade: Michael Golamco (roteirista), se inspirou em um artigo do The New York Times sobre um grupo de meninas autistas que foram a um acampamento de verão. “O artigo dizia que garotas com autismo tinham problemas em socializar, mas o que as mantinham afastadas dos garotos é que essas garotas realmente queriam se conectar”, explica Golamco. “A premissa da personagem de Wendy começou a se desenvolver: a ideia de uma jovem garota que quer se conectar com o mundo, mas não tem certeza de como fazer isso, e a sua jornada de aprendizado”, completa.

Anterior Titãs | Veja vídeos e uma nova imagem dos bastidores da série
Próxima Ciganos da Ciambra | Crítica

Sem Comentários

Deixe uma Mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *