Últimos Dias no Deserto | Crítica


Baseado na história daquele que se tornou um divisor na própria história, um ser religioso e ainda muito político, que prega o amor como maior mandamento e que arrebata multidões, “Últimos Dias no Deserto” nos leva a acompanhar Jesus Cristo durante os seus quarenta dias de reflexão, jejum e oração no deserto, justamente os dias que antecedem a sua crucificação.

Últimos Dias no Deserto

Trazendo Ewan McGregor como Cristo e ainda como o Diabo ao tentá-lo, o filme o retrata o mais humano possível, cheio de dúvidas, medos e incertezas. As aparições do Diabo muitas vezes deixam a impressão de que ele se manifesta não como um outro ser, pelo contrário, sugere mais que ele se revela como uma consciência que explora as fraquezas alheias. E é inegável o excelente trabalho feito pelo ator ao interpretar dois seres tão icônicos e grandiosos na história da humanidade.

O longa é dono de uma riqueza visual incrível, transportando o telespectador para aquela paisagem árida, muitas vezes quase permitindo sentir o vento cortante ou ainda o toque abrasador do sol. O diretor Rodrigo García optou por inserir uma família nesse contexto, com a qual Jesus convive nesses dias, tentando auxiliá-los em suas mazelas enquanto a recíproca também acontece, uma vez que eles possuem conflitos comuns aos que Ele próprio vive, tais como: obediência em oposição a seguir seus próprios anseios; a dificuldade que se apresenta na comunicação pai-filho (Cristo sente que Deus não o ouve ou ainda que não lhe concede as respostas que Ele necessita), lidar com sentimentos como a raiva, descrença, impotência entre outros.

É como se a família refletisse tudo aquilo que constitui as aflições e questionamentos que levaram Cristo a ir para o deserto, nela ele pode enxergar claramente o que o perturba e através dela ele pode trabalhar todas essas questões, de forma a encontrar o caminho a ser seguido, o propósito de sua existência.

Com estreia marcada para amanhã, 08 de setembro, o longa nos presenteia com uma faceta da história pouco explorada até o momento embora seja muito rica, especialmente para os cristãos que podem se identificar ainda mais com aquele que consideram seu salvador. Apesar de ser uma obra fictícia, para aqueles que têm fé, está é mais uma oportunidade de se aprofundar na história e experimentar um pouco do caminho trilhado por Ele nesses quarenta dias de fuga e reencontro.

Últimos Dias no Deserto

 

Título Original: Last Days in the Desert
Direção: Rodrigo García
Roteiro:
Rodrigo García

Elenco:
Ewan McGregor, Susan Gray, Ciarán Hinds
Distribuição:
Mares Filmes | Alpha Filmes

[yasr_overall_rating size=”medium”]