Um Espião e Meio | Crítica


Um Espião e Meio

Título Original: Central Intelligence
Elenco: Dwayne Johnson, Kevin Hart, Amy Ryan
Direção: Rawson Marshall Thurber
Roteiro: Ike Barinholtz e David Stassen
Gêneros: Comédia, ação,
Nacionalidades: EUA.
Nota do filme:
[yasr_overall_rating size=”medium”]
Deixe sua nota:
[yasr_visitor_votes size=”medium”]
Quer assistir um filme com uma história simples, bem-humorada e que ainda tenha ação? Então você provavelmente irá gostar da nova comédia protagonizada por Dwayne Johnson e Kevin Hart, que chega aos cinemas nacionais amanhã, 11 de agosto.

Um Espião e Meio

Com direção de Rawson Marshall Thurber, que também assina o roteiro junto a Ike Barinholtz e David Stassen, o longa “Um Espião e Meio”, tem um enredo que mescla muito bem ação e comédia. Baseados nos princípios de que o mundo dá voltas e o rei de hoje pode se tornar o subalterno de amanhã, somos apresentados a Bob (Johnson), que representa o esteriótipo de “gordo nerd”, encantado pelo filme Sixteen Candles (Gatinhas e Gatões – 1984) e sempre perturbado pelos colegas no colégio, enquanto Calvin (Hart) vive o “padrão” de aluno mais popular e que “certamente” terá um futuro brilhante pela frente.

Um Espião e Meio

Vinte anos se passam e os papéis parecem se inverter, Calvin agora um contador sente o peso da idade e entra numa crise dos quase quarenta anos, questionando o que tem feito e sentindo que não atingiu todo o potencial que tinha. Enquanto Bob se tornou o super musculoso e habilidoso agente da CIA, porém sem muitos laços afetivos.

Um Espião e Meio

Lugar comum, é verdade, entretanto o filme consegue conquistar fazendo sempre muitas referências a personagens e acontecimentos da nossa atualidade, mantendo um certo mistério sobre as reais intenções de Bob e ainda propondo de uma forma indireta essas reflexões sobre o quanto somos julgados sobre nossa aparência física (e isso pode ser observado na escolha dos figurinos, que evidenciam claramente as diferentes características entre os personagens), quais os reflexos disso no nosso futuro e ainda que o ideal de sucesso e realização é subjetivo. Hart se destaca muito, sendo o mais engraçado dos dois protagonistas, com muitos trejeitos e várias sacadas cômicas.

A trilha sonora também contribui muito para deixar o tom de comédia na medida certa, enquanto as cenas de ação são bem intensas, transformando o longa numa história atrativa, leve e bem divertida, garantindo assim aos espectadores boas gargalhadas.

Confira o trailer!